Graduação - Informações

O primeiro diagnóstico sobre o ensino de graduação na área de Ciências do Mar foi realizado para servir de subsídio à elaboração da Proposta Nacional de Trabalho do Comitê Executivo para a Formação de Recursos Humanos em Ciências do Mar – PPG-Mar para o quadriênio 2007-2010 – PNT 2007-2010, no contexto da Oficina de Trabalho realizada em Florianópolis/SC, entre 23 e 27 de outubro de 2007 (CHAVES et al., 2007, p. 6-44). Este diagnóstico, que tomou como referência a definição de Ciências do Mar adotada pelo PPG-Mar (Ciências do Mar é a área do saber que se dedica à produção e disseminação de conhecimentos sobre os componentes, processos e recursos do ambiente marinhos e zonas de transição), perdeu a sua atualidade, em face da expansão do ensino de graduação que teve lugar no país a partir da decisão governamental de implantar o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. As informações sobre os cursos de graduação voltaram a ser consolidadas em 2012 (KRUG, 2012, p. 11-27) e em 2015 (PPG-MAR, 2015, p.15-19).

A compreensão de que o campo das Ciências do Mar não deve se restringir unicamente aos elementos naturais (natureza) do ambiente marinho e zonas de transição, devendo também incluir os elementos socioculturais (estruturas sociais e os produtos culturais) que constituem este meio ambiente particular, assim como as interações propiciadas pelo trabalho humano (natureza transformada) (PPG-MAR, 2019, p. 58), aponta para a urgente necessidade de realização de um novo diagnóstico dos cursos de graduação deste domínio.

Neste novo levantamento, que está em andamento e vem sendo divulgado neste espaço à medida que avança, são identificados, além das modalidades e cursos que abordam os elementos naturais do oceano e das zonas de transição - Oceanografia, Engenharias de Pesca e Aquicultura e outras -, também aquelas modalidades e cursos pertencentes as Grandes Áreas de Ciências Humanas e de Ciências Sociais e Aplicadas - tomada como referência a Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq1 - que envolvem os elementos socioculturais destes mesmos ambientes. É um trabalho de fôlego, que precisará de revisão permanente, à medida que a criação de novos cursos de graduação, assim como a alteração de projetos pedagógicos e desativação daqueles já em funcionamento, é uma das características do Ensino Superior brasileiro.

Notas:
1. <http://lattes.cnpq.br/documents/11871/24930/TabeladeAreasdoConhecimento.pdf/d192ff6b-3e0a-4074-a74d-c280521bd5f7>. Acesso em: 03 jul 2020.
Referências:
CHAVES, Paulo de Tarso da Cunha; KRUG, Luiz Carlos; GUERRA, Nubia Chaves; LESSA, Rosangela Paula Teixeira; PESCE, Celso Pupo. Pesquisa e formação de recursos humanos em Ciências do Mar. Brasília: Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar – SECIRM, 2007. 87p.
PPG-Mar. Relatório de Atividades 2014 e Plano de Trabalho e Orçamento 2015. Brasília, 2015. 231 p. Disponível em:
https://cienciasdomarbrasil.furg.br/images/relatorios/Relatorio2014a2014ePlanejamento2015.pdf. Acesso em 03 jul 2020.
PPG-Mar. Relatório de Atividades 2018 e Plano de Trabalho e Orçamento 2019. Brasília, 2019. 420 p. Disponível em:
https://cienciasdomarbrasil.furg.br/images/relatorios/Relatorio2018a2018ePlanejamento2019.pdf. Acesso em 03 jul 2020.
KRUG, L.C. (Org.). Formação de Recursos Humanos em Ciências do Mar: Estado da Arte e Plano Nacional de Trabalho 2012-2015. Pelotas: Ed. Textos, 2012. 172 p. Disponível em:
https://cienciasdomarbrasil.furg.br/documentos/livros/18-livros/57-link-formacao-de-recursos-humanos-em-ciencias-do-mar. Acesso em 03 jul 2020.